Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

29
Jul12

Crónicas

Crónica da Ana Bacalhau (vocalista dos Deolinda) publicada na revista do DN dia 22 de Julho do corrente.

 

Tou Chih-kang é um fotógrafo chinês que capta os últimos minutos de vida dos cães condenados à morte, no Abrigo Animal de Taoyuan, com o intuito de fazer uma exposição que alerte para o sofrimento dos animais abandonados. As imagens são violentas para qualquer ser humano que dê valor à vida, seja ela de que espécie animal ou vegetal for. Poder-se-á dizer da exposição que explora a imagem de animais em claro sofrimento. Mas também se poderá dizer que o choque que as imagens possam causar levará a que alguns finalmente percebam que os animais das outras espécies sentem e que, ao contrário do que diz a nossa vetusta legislação, não são coisas ou propriedade, mas sim vidas que devem ser respeitadas.  
Haverá muita gente incomodada por saber que tal exposição vai existir. Algumas pessoas por empatia com o sofrimento destes animais, outras porque não querem ser confrontadas com o sofrimento que se inflige a um animal quando é abandonado à sua sorte e à sua morte. Mas o que me motiva a escrever hoje não é aquilo que fere a sensibilidade de alguns seres humanos. O que me motiva a escrever são os cães e gatos e outros animais de estimação que são abandonados por quem não estima saber o significado de certos gestos, encarando-os de forma leviana. Porventura o valor da estimação varia tanto de pessoa para pessoa, que algumas pensam que estimar um animal é achá-lo giríssimo enquanto ele é bebé e achar uma chatice quando ele cresce, ou quando parte alguma coisa, ou quando adoece, ou quando deixa pêlos no sofá e baba nos sapatos que tanto estimávamos.  
Se calhar é a palavra «estimação» que está a induzir alguém em erro. Talvez fosse melhor que se substituísse a expressão «animal de estimação» pela expressão «animal de família». Quando se resolve trazer um animal para a nossa casa, está-se a estabelecer um vínculo emocional com esse mesmo animal que o torna membro da nossa família. Para além dos laços emocionais que são criados, há ainda a responsabilidade assumida perante o animal, perante toda a família e perante a sociedade. Adoptar um animal é, portanto, algo que deve ser muito bem pensado e cuja decisão nunca, em circunstância alguma, deverá ser tomada de ânimo leve. Porque desistir, depois de adoptado o animal, não é uma opção. Desistir de um animal é falhar em toda a linha enquanto pessoa. É dizer perante os pais, os filhos, os amigos, a sociedade e o animal que acolhemos que não somos responsáveis pelas nossas decisões. Que não somos capazes de estabelecer laços emocionais. Ou que somos tão desumanos que conseguimos destruir qualquer laço emocional criado com uma displicência sórdida. E assim, deitamos gatos pelas janelas dos carros fora, deixamos cães à solta no meio da auto-estrada, largamo-los na rua e fugimos, porque sabemos bem a dimensão do que estamos a fazer.  
É essa dimensão que é retratada na exposição de Tou Chih-kang. A dimensão da estupidez humana nos olhos daqueles cães que caminham para uma morte certa e que nos olham, uma última vez, numa última súplica para que lhes dêmos afinal a única coisa que sempre nos pediram e que alguém falhou em dar-lhes. Ao invés, damos-lhes o oposto. Damos-lhes o vazio, o abandono, a morte. Não seremos capazes de mais, enquanto espécie humana? Só um bocadinho mais. Já nem se pede amor, que parece estar tão em falta até mesmo entre os seres desta espécie. Respeito já era suficiente. Vergonha na cara também.


29
Jul12

I'm so proud

Criei este cantinho à dois anos atrás com o objectivo de me divertir, aprender coisas novas, conhecer pessoas com os mesmo gostos e partilhar opiniões. Apesar de o meu blog não ser nenhum "super" blog com mais de 1000 (ou 5000) visitas por dia, sinto-me muito orgulhosa daquilo que fui criando por aqui. Não escrevo textos lindos que tocam o coração, não ando a publicitar o meu blog por outros alheios (convenhamos que acho isso parvo), e regra geral não respondo aos comentários que cá me deixam (com muita pena minha) por falta de tempo. Apesar disso tudo, tenho pessoas que vem cá todos os dias para me ler, gostam de ler as minhas passagens e os breves relatos da minha vida por mais parvos e insignificantes que sejam, que riem comigo, que me desejam sorte e força quando preciso, me dão opiniões quando as peço, e que estão prontas a ajudar quando preciso de algum favor, e isso é na minha opinião o que de mais gratificante há na blogosfera.

Posso não ser uma "Pipoca mais doce", ou uma "Cocó na fralda", ou mesmo uma "A minha vida dava uma série", mas sei que isto está a crescer, que estou a chegar a novas pessoas quando sou contactada directamente por o autor de uma música sobre a qual fiz uma critica mais "agressiva" aqui no blog, sugerindo que não aos leitores que não a ouvissem, ou quando recebo propostas de descontos em lojas mediante publicidade. Fico com a sensação de " You are doing it right!".

25
Jul12

Sobre o assunto do dia no mundo Twilight

Não sou team Robsten, nunca fui, mas esta notícia deixou-me, no mínimo, abalada. A foto mais vista, pode de facto ser montagem, mas será que todas estas são também montagem? A verdade é que a Kristen e o Rob nunca confirmaram a relação, e apesar de todos os momentos Robsten, podia de facto não existir uma relação séria entre eles. O que me deixa realmente triste é, se de facto a relação entre eles não existia, durante estes 4 anos andaram-nos a atirar areia para os olhos. O facto de não confirmarem nem desmentirem, as aparições juntos, os gestos, and so on, fizeram-nos acreditar que namoravam e por muito estúpido que pareça sinto-me enganada e triste com isto tudo.

Outra questão que me faz pensar é se existia realmente Robsten, porquê tanto cuidado durante tantos anos, e agora a Kristen aparecer assim com outro em praça pública, sem cuidado algum? Ela já está concerteza, mais do que habituada a estas coisas de paparazzi.

Claro que tudo não passa de especulação, e já existem inúmeras teorias a correr a net, mas eu prefiro sem sombra de dúvida, acreditar nesta ideia de que tudo não passou de uma manobra de marketing e Robsten não existia, do que acreditar que a Kristen realmente traiu o Rob, com um homem casado e com 2 filhos. Isso sim, parece-me muito pior.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D