Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

27
Fev13

Dia complicado, este!

Num espaço de 2 horas soube de uma morte, fui visitar um familiar muito próximo que está em fase terminal, soube de uma gravidez na família e de uma outra que ainda está por confirmar. É uma coisa maravilhosamente bem feita esta coisa da lei da vida, não é?

27
Fev13

Está a chegar "O" dia

Hoje ainda não é o dia, mas dia 22 de Março será o dia em que deixo este país para me tornar emigrante. Sei que vou sair daqui com consciência tranquila de que atingi todos os meus objectivos e fiz tudo aquilo que me foi proposto. 
Facilita as coisas o facto dos meus pais viverem noutro país, que apesar de não ser um país de sonho para a maior parte dos jovens é um país muito equilibrado e estável, com uma boa qualidade de vida, com boas remunerações, onde a justiça funciona melhor e ainda com muitos portugueses o que faz com que a mudança não seja tão radical.

Apesar de estar entusiasmada e com uma enorme vontade de mudar de vida tenho plena consciência dos aspectos negativos a que vou estar sujeita: vou ter de voltar a viver com os meus pais (o que não vai ser fácil) mesmo que seja por um curto período de tempo; vou com o coração apertadinho por ter de deixar o meu Mike cá já que na casa dos meus pais não é permitido ter cães (mas que venho buscar assim que for possível, e todos os meus esforços nos primeiros meses serão diraccionados para isto); não sei que tipo de emprego vou arranjar, claro que tentarei arranjar na minha área mas o mais certo será trabalhar como empregada de limpezas nos primeiros tempos até dominar a língua; vou enfrentar barreiras linguísticas e também alguma discriminação (já estou preparada para isto); vou deixar para trás tudo que conheço e todos que me querem bem.

Se vai ser fácil? Não vai certamente. Mas vou ter comigo as pessoas que mais amo nesta vida incluido o B. e a Alice, e rapidamente terei o meu príncipe de quatro patas ao pé de mim se tudo correr bem. Isto é que o preciso para ser feliz, e é o que o meu coração/intuição ou o que lhe quiserem chamar, me diz que é correcto e é o caminho a seguir neste momento. O "amanhã" logo se vê...

27
Fev13

Coisas que não matam mas enervam

Enerva-me solenemente quando alguém responde à pergunta "qual é a sua profissão?" com "sou funcinário/a público". Revolta-me. Da-me uma volta à barriga, pronto. Mas ser funcionário público é alguma profissão? Quando me perguntam o que é que eu faço eu não respondo "sou funcionária privada"! 
Eles são de facto funcionários do estado, mas devem ser recepcionistas em algum lugar, ou auxiliares numa escola, ou tecnicos de alguma repartição (seja finanças, segurança social, etc). É qua coisa dita assim deste modo dá a entender que esta gente não trabalha. Simplesmente são funcionários públicos e recebem por isso. E o que mais me enerva é dizerem isto de um modo como se fossem mais do que os outros, como se isso fosse um "posto".

Por estas e por outras é que eu sou a favor da privatização da maior parte das coisas neste país, porque se houvesse um patrão/gerente a controlar certamente não estariamos 3 horas na fila da segurança social, ou das finanças, ou do registo civil para pedir um papel. 

17
Fev13

Experiências para(láde)normais

Em Setembro cortei uns bons 20cm's de cabelo. Claro que adorei e era tudo muito bonito, mas após umas semanas já estava pronta para ter o meu longo cabelo de volta. Na altura, estimei que em Fevereiro já o teria no seu tamanho "normal" mas a semana passada olhei ao espelho e relembrando esse pensamento, achei que não seria possível. Fui então esta semana ao cabelereiro fazer as minha habituais madeixas, e aproveitei para lhe dar um pouco de corte sem tirar ao comprimento. Aqui é que entra a "cena estranha". Sai do cabeleireiro depois de cortar o cabelo com a sensação que o meu cabelo tinha crescido desde que ali tinha entrado. Pensei que talvez fosse por estar todo esticadinho e tal, mas hoje em casa após a lavagem (aka derradeira prova) ele continua mais crescido do que estava na última vez que olhei para ele antes de ir à faca. 

Será a minha cabeleireira a única que faz milagres com a tesoura?

15
Fev13

Politicismos

Não percebo nada de política, e por isso não tenho partido político. Identifico-me com algumas ideias de direita, com outras de esquerda, mas muito pouco com as de centro. Mas poloticismos à parte fiquei com a lágrima no canto do olho ao ver este vídeo, fez-me relembrar daquilo que os portugueses são feitos. Que quando querem muito uma coisa conseguem-no sem guerras nem violência, nem que seja algo tão grande como mudar um país. É disso que nos devemos lembrar.

Pág. 1/2