Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

23
Mar13

Em casa

A viagem não foi tão chata como estava a espera. Apesar do cansaço é algo que vale a pena fazer, tendo em conta as paisagens lindissimas que nos acompanham por quase todo o trajecto, com uma metereologia que varia entre planicies cobertas de neve e os pirinéus pintados a verde, a irradiar Primavera. Não poderia ter gostado menos, afinal foi "a viagem" da minha vida. Talvez não a maior, talvez não a mais importante, mas foi e será seguramente a que mais mudanças trará me trará. Se não me adaptar aqui, não tenho problemas nenhum em voltar a mudar-me, foi esta viagem que me fez dar o primeiro salto.

E apesar de ainda não ter um futuro certo a nível de emprego, algo me diz que tudo vai correr bem e mais rápido do que eu estou à espera. Depois disso muitos planos já andam nas nossas cabeças, muitas viagens, muitos feitos e muita diversão.

Obrigado a todas que me desejaram boa sorte!

18
Mar13

Conversas alheias

A conselho de algumas pessoas, dirigi-me hoje ao tribunal para pedir um registo criminal visto que pode ser necessário no Luxemburgo. Ao dirigir-me à secretaria informei as duas senhoras que lá estavam do que queria, e a conversa entre elas foi a seguinte:

- Vão trabalhar com crianças? (dirgindo a pergunta a mim)

Antes de eu responder, a colega da senhora responde:

- Achas? Vão para as obras e para as limpezas.

- Como é que tu sabes?

- Porque toda a gente que imigra vai para as obras e para as limpezas.

- Mas eles podem não ir.

- Pronto, está bem. Eu ponho aqui que eles podem trabalhar com crianças, porque nunca se sabe o dia de amanhã...

 

Senti-me extremamente ofendida com esta conversa. Não pelo tipo de trabalho que vou fazer porque nem sei o que vou mesmo fazer, mas esta ideia que só saem do país as pessoas sem especialização laboral, e que somos "coitadinhos" que mudamos de país para ser mão de obra barata incomoda-me. Primeiro porque há imensa gente que muda de país e que não vai para a contrução civil nem para limpezas, e em segundo porque nós somos tão capazes de obter qualquer tipo de trabalho como outra pessoa qualquer. Raio de mentalidade tacanha...

14
Mar13

Sonhos

Vou mudar de país. Em menos de uma semana. É normal que isto me afecte os nervos e o sono. Conhecendo-me como me conheço poderia esperar noites de insónias e pesadelos assim que fechasse os olhos, mas não é propriamente isso que tem acontecido. Ando desde 2ª feira a tentar ver o último episódio de Spartacus mas o sono é tal que acabo por adormecer às 22h e dormir seguido (coisa inédita) até às 8h da manhã. Isto sem comprimidos ou outras coisas que fazem dormir tão habituais na minha rotina. 

A melhor parte disto (para além de acordar bem disposta após um noite de sono descansada) são os sonhos. Sonhar que consigo enganar o B. a ponto de conduzir até à Disneyland e apresentar-lhe a cidade encantada como sendo o Luxemburgo é no mínimo irónico. Era mesmo ali que nós iamos passar a viver. Num mundo mágico, repleto de coisas boas. 

Serviu para me lembrar que dentro de uma semana estarei a 300km de realizar um sonho de criança...

14
Mar13

"Eu sou responsável por aquilo que digo, não por aquilo que tu percebes"

Quando eu digo que gosto do meu cão e da minha gata como se fossem meus filhos noto uma profunda desilusão do olhar das pessoas, principalmente da minha mãe. Até chegar a este tema acham-me muito adulta e responsável para a minha idade, mas quando entramos no assunto cão/gato, é ler-lhe a alma através dos olhos e ver ali estampado "Isso passa quando cresceres", junto com um suspiro de consolação.

Então é assim, quando eu digo que não vou gostar mais dos meus futuros filhos do que gosto dos meus animais não estou a querer dizer que vou "gostar tanto" dos meus filhos que até lhes dou de comer e os levo ao médico (isto é a definição da maior parte das pessoas para se gostar de animais). O que eu quero dizer, e repito, é que gosto dos meus animais como filhos, e não o que as pessoas percebem que eu digo, que vou gostar dos meus filhos como se fossem animais. 

Se tivesse de escolher entre a vida do meu cão ou de um filho, o que é que faria? Really? Alguma vez alguém passou pela situação de escolher entre  isto ou aquilo? Tipo, o meu cão teria de doar algum órgão vital a um filho meu? Quando me fazem esta pergunta parva penso se alguém já teve de escolher entre salvar a mãe ou o pai? Entre algum dos pais e o marido? É uma pergunta estúpida, que nunca vai acontecer porque não se trata de uma escolha.

Não sou incosciente de dizer que se tivesse de salvar um, escolheria o cão ou a gata, porque um filho é um filho. O que eu quero mesmo dizer é que se um dia eu tiver um filho biológico, ele já terá 2 irmãos de 4 patas à espera dele.  

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D