Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

26
Abr13

Já ouviram falar de Endometriose?

Um Grupo de Apoio a Mulheres com Endometriose em Portugal - Mulherendo - pediu-me para partilhar aqui este post, e eu acedi pois convivo com a doença num familiar. E apesar desta ser muitas vezes silenciosa, pode tornar-se algo muito grave e mudar toda a nossa vida. Pela experiência que tenho é uma doença sub-diagnosticada, por isso leiam e informem-se junto do vosso médico na próxima consulta. Não custa nada!

A Endometriose é uma doença muito comum que afecta 1 em cada 6 mulheres que estão na idade reprodutora. Cerca de 80% destas mulheres apresentam como principal sintoma a Dor. As restantes 20% apresentam em primeiro lugar infertilidade.
Esta é uma doença feminina socialmente expressiva devido ao impacto que causa na vida da mulher, no entanto, é ainda muito pouco conhecida e divulgada em Portugal. Para além do desconhecimento da sociedade de um modo geral, são poucos os especialistas devidamente qualificados para lidar com esta patologia o que leva a que em média o seu diagnóstico demore cerca de 8 anos.
O endométrio é a parte do revestimento interno do útero que no ciclo menstrual sofre um processo cíclico de regeneração e descamação provocando a menstruação. Quando as células que compõem o endométrio se encontram fora da parte interna do útero e se implantam noutros locais dá-se o processo de Endometriose.
A Endometriose é uma doença progressiva que pode levar ao mau funcionamento de vários órgãos  e provocar quadros de dor muito elevados o que impede muitas mulheres de fazerem a sua vida de forma normal. 
Quando a Endometriose está num estado inicial estas alterações são sentidas com mais intensidade apenas durante o período menstrual, no entanto, com o passar dos anos e o evoluir da doença são muitos os casos em que a mulheres sentem alterações e perdem a sua qualidade de vida antes, durante e após a menstruação.
Sintomas
Dor abdominal
Esta dor pode ser sentida antes, durante e após a menstruação. Na maioria dos casos são dores muito fortes, que causam muito desconforto e que muitas vezes impedem a mulher de estar na posição vertical, sentido necessidade de se "encolher" ou deitar na posição "fetal".
Alterações intestinais
Um dos muitos sintomas da Endometriose são as alterações intestinais. As alterações referidas podem variar entre estados de diarreia e obstipação. São muitos os casos em que os dois sintomas aparecem no mesmo dia, com diferença de poucas horas. Este sintomas são geralmente acompanhados de cólicas fortes. Para além do referido, em algumas mulheres ocorre libertação de muco intestinal que é também muito incomodativo, bem como de sangue nas fezes.
Dor nas relações sexuais 
Infelizmente, o acto sexual nem sempre é sinónimo de prazer. Para muitas das portadoras de Endometriose a dor durante as relações sexuais é bastante comum. A dor profunda e intensa na penetração deve-se essencialmente à existência de tumores de Endometriose no septo recto-vaginal ou nos ligamentos útero-sagrados (ligamentos posteriores do útero). Nas mulheres que também sofrem igualmente de síndrome do cólon irritável a dipareunia é um dos sintomas típicos.
                                                                                                                 
Cansaço extremo
São muitas as mulheres com Endometriose que se queixam de cansaço anormal e injustificado. Um sono pouco reparador que leva a "acordar já cansada", sensação de corpo quebrado e pernas muito pesadas sem um motivo aparente são apenas algumas das queixas referidas pelas pacientes com Endometriose. Existem vários casos em que associada à Endometriose surge a Fibromialgia, não havendo ainda muitos estudos significativos neste campo.
Menstruação Abundante e Irregular
Muitas das mulheres com Endometriose que não tomam a pílula anti-concepcional nem usam qualquer dispositivo, apresentam uma menstruação com um fluxo demasiado abundante que dura vários dias. São também vários os casos em que o período menstrual é muito irregular, chegando a mulher com Endometriose a não menstruar durante dois meses.

Problemas de Rins/ Bexiga
A Endometriose pode também causar alterações ao nível da bexiga e dos rins. Infeções urinárias frequentes, com possível sangramento na urina (hematúria), durante ou fora do período menstrual e dor ao urinar (disúria) são os sintomas mais frequentes. Estes sintomas podem ser acompanhados de febre moderada. Estas alterações são muitas vezes descritas como "peso nos rins". Em casos menos frequentes a endometriose ao invadir os ureteres, pode levar à paragem total e irrecuperável dos rins.
Falta de apetite/Enjoos
Durante o período menstrual para as mulheres que sofrem de Endometriose, é também normal sentir alguns enjoos e perder o apetite. Ambas as alterações podem ser consequência das fortes dores provocadas pelos sintomas anteriormente referidos. 
Infertilidade
Apesar de ainda tão desconhecida a Endometriose é uma das maiores causas de Infertilidade feminina. Muitos são os casos em que a Endometriose só é diagnosticada após a procura da causa da infertilidade. 

 

Outros sintomas
Para além de todos os sintomas abordados anteriormente, algumas mulheres apresentam ainda barriga inchada, dores/picadas nos ombros, dificuldades respiratórias e ciatalgias.
Ausência de Sintomas
É de salientar ainda que, enquanto a grande maioria das mulheres que sofre de Endometriose apresenta grande parte dos sintomas referidos há uma pequena percentagem que, de forma inexplicável, não apresenta qualquer sintoma.
Para além da dor física as mulheres portadoras de Endometriose apresentam um sofrimento psicológico muito elevado. Sendo esta uma doença desconhecida e pouco valorizada pela sociedade de um modo geral, as suas portadoras são pouco compreendidas pelos seus familiares e amigos. 
São ainda muitos os casos em que estas mulheres para além de viverem com dores agonizantes, se vêm obrigadas a “saltar” de médico em médico na procura de um diagnóstico e de respostas para um quadro que nada tem de normal, como muitos afirmam.
Diagnóstico
A Endometriose pode ser diagnosticada com o auxilio de alguns exames específicos tais como Ressonância Magnética, Clister Opaco ou Colonoscopia, Ecografia Pélvia, entre outros. Normalmente os exames são prescritos tendo em conta os sintomas apresentados pela doente.
Sendo esta uma doença que pode ser controlada quando diagnosticada, seja por via cirúrgica ou medicamentosa, é importante estar atento aos seus sinais, dar-lhes o devido valor e consultar um especialista na doença.
25
Abr13

Apesar de ser feriado em Portugal...

E aqui não, por cá também há boas notícias:

-Já trabalho alguma coisa (2 horas por dia) e hoje começo com mais 3;

-Ganho em 2 horas, mais ou menos, o que ganhava em Portugal num dia inteiro (que significavam 10, 11, 12horas...);

-O curso está a correr bem, mas a tornar-se cada vez mais dificíl (ou não fossem os franceses tão esquesitos como os portugueses a conjugar verbos);

- Tem estado um tempo lindo e maravilhoso, com direito a calorsinho até às 21h;

- Se as coisas continuarem a avançar tão positivamente, dentro de pouco tempo teremos outro patudo cá em casa.

Bom feriado!!!

23
Abr13

Dor sonhada

Acordo várias vezes de noite com o barulho do Mike sacudir as orelhas, ou com o barulho que ele fazia a beber água na cozinha de madrugada, ou com o barulho dele a subir e a descer da cama. Ouço as suas unhas a bater no chão enquanto percorria as divisões da casa antes da aurora. Sinto a sua respiração ao lado da minha cara, como quando me pedia para dormir debaixo dos lençóis. Eu sei que não é imaginação, porque eu ouço e sinto de verdade. Então se não é imaginação, só pode ser saudade. 

Uma saudade forte que aperta o coração durante a noite quase sufocando aquando estes episódios, e saudade que se torna insuportável durante o dia, pois apesar de ser o meu subconsciente a proporcionar-me estas situações, prefiro senti-las mesmo sendo irreais do que passar o dia inteiro sem o ouvir, sem o sentir e sem o cheirar...

18
Abr13

Até já Príncipe

O Mike adormeceu nos nossos braços, feliz depois de muitos muitos beijos a mim e ao B. e nossos nele, com muitas palavras doces, juras de inesquecimento e agradecimentos por tudo o que ele foi. Quando houverem palavras, falarei no assunto. 

Rest in peace MIKE (02.06.2008-17.04.2013)

10
Abr13

Sinto-me enganada, um ultraje!

Tenho um problema com alimentos verdes, que é o facto de não gostar de nenhum. Nadinha. Excepto gomas, e nem aí as verdes são as minha preferidas. O único vegetal que consigo comer é cenoura e apenas se for crua.

Agora perguntam vocês, como é que uma pessoa que não come legumes faz dieta de emagrecimento? Onde praticamente só se comem coisas verdes? Se não come coisas verdes? Ao que eu respondo: na sopa! Tudo muito bem passadinho (e por vezes passado por um coador muito fininho caso tenha fios de alho francês, ou aquelas "peles" do feijão) de maneira a que eu não consiga perceber que raio leva aquele líquido. Isto seria a solução ao meu problema se fosse eu a fazer a minha sopa, como não sou, dei as informações necessárias à minha mãe e pedi para fazer sopa para mim (porque já sei que mais ninguém a come daquela maneira).

Já à uns dias andava a desconfiar que a coisa estava mais cremosa do que o costume. Insisti com a minha mãe se ela não andava a pôr batata ou cenoura. Respondeu-me que não, devia ser impressão minha. Qual não é o meu espanto que hoje, vendo que o líquido do costume estava mal passado, encontro não só batata, como cenoura, feijão, arroz e ainda frango!

Confrontada com as provas justificou-se: "Aquela coisa que tu comes não alimenta nada! Nem notavas que tinha aquilo tudo!". Pois, eu não notei mas já andava a estranhar o facto de estar a fazer (pelo menos uma, quando não eram duas) refeição por dia de sopa à duas semanas e ainda não ver o volume a desaparecer.

Foram duas semanas de esforço desperdiçadas, já que tenho andado a comer algo semelhante a feijoada no seu valor nutricional mas em forma líquida e com um décimo da palatabilidade. Um ultraje, é o que é. Mas como não vale a pena insistir com as mães porque os argumentos delas são sempre mais válidos ("tens de te alimentar bem para aprender tudo na escola", "tens de te alimentar em condições para não ficares doente"), a partir de amanhã faço eu a minha sopa.

 

PS: Mas mãe é mãe, e agradeço do fundo do coração a preocupação. Só não lhe posso é dizer porque ela iria já dizer às amigas todas que a filha dela está a ficar sentimental, e eu tenho uma imagem a manter. Humft.


09
Abr13

O semi-abandono do blog

O semi-abandono aqui do estaminé resume-se, não à falta de tempo como de costume, mas à preguiça. Ainda me estou a habituar a esta rotina de "deitar cedo e cedo erguer" onde as lojas abrem as portas às 7.30h da manhã e às 18h estão fechadas. Com o retorno às aulas e tudo o que envolve a adaptação num novo país, a blogosfera acaba por ficar em segundo plano. 

Quando a novidades, acho que é ainda esta semana que arranjo emprego. Não na minha área, mas algo melhor do que aquilo com que estava a contar sinceramente. Wish me luck!!

 

 

08
Abr13

Completamente viciada

Em iogurtes caseiros. Tão fácil de fazer, com tantas possibilidades de sabores (com pedaços, com polpa, cereais, etc), e acabam por ficar bastantes mais económicos do que os comerciais.

05
Abr13

Dia-a-dia

Não ter trabalho não significa estar em casa o dia todo sem fazer nada. Os dias são passados entre uma dedicação anormal à lida da casa (passar a ferro não é tão chato quando não se tem nada para fazer), contactar com pessoas que possam arranjar trabalho (quer-me parecer que me vão todas ligar com respostas ao mesmo tempo), corrida, passeios e o curso.

Estou a fazer um curso de francês intensivo, ou seja, duas horas diárias durante dois meses. À primeira vista aquilo parecem aulas muito leves, mas ao fim de uma semana posso dizer que já aprendi bastante. Ajuda o facto de termos 4 páginas de exercícios por dia como trabalho de casa.

Mas como nada é perfeito, há lá um grande problema que é a falta de dedicação das pessoas. Somos uma turma pequena, oito ou nove pessoas, em que apenas três ou quatro se dedicam a sério. Não tenho nada a ver com a vida das outras pessoas, se apenas têm a quarta classe, se têm de cozinhar para o marido, se simplesmente se estão a borrifar para aquilo a ponto de nem levaram o raio de uma folha e um lápis para escrever a matéria. A sério, isso não me incomoda nem interessa nada (não interessa mesmo nada, mas eles aproveitam qualquer exemplo prático para perder 10 minutos de aula a contar a vida dos filhos, dos primos, e dos vizinhos da terrinha). O que me incomoda a sério é o facto de por estes motivos todos e mais alguns atrasarem a matéria para a turma toda. Não estou habituada a aulas assim. Acabei agora a universidade, onde os professores debitavam matéria durante duas horas independente do que a turma estivesse a fazer, quem queria estudar estudava, quem não queria, azar.

Numa tentativa de avançarmos mais rapidamente na matéria, hoje fomos à aula noutro horário para apanharmos uma turma diferente e tudo correu melhor. Houveram dúvidas, que é normal porque estamos ali todos para a aprender, mas dúvidas "legítimas", não coisas como "como é que se lê hotmail em francês?", ou "como é que entre vrai ou faux sabemos qual é o verdadeiro e o falso?"...

Agora penso eu, se as pessoas não se aplicam num curso pago e em que se reprova caso não se atinjam os parâmetros mínimos de conhecimento, como seriam as aulas numa turma de Novas Oportunidades? Meeeeeedo!!

Pág. 1/2