Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

24
Ago13

A barriga manda a perna...

Nunca gostei de cozinhar. Eu e a cozinha de "comida" (e não de doces) não temos má relação. Basicamente não temos é relação nenhuma. Não me saio mal mas não é de todo uma coisa que me dê prazer fazer, por isso fico-me normalmente pelas coisas mais básicas, rápidas e fáceis. Mas no fundo eu sabia que o dia de hoje haveria de chegar. Hoje foi o dia em que decidi fazer um prato muito apreciado na família, especialidade da minha mãe, e que eu sempre achei que nunca o iria conseguir fazer sozinha (e que ficasse comestivel). 

Mas hoje foi dia de arriscar. E depois de fazer as minhas guloseimas típicas de fim de semana, abri o frigorifico e pensei "que faço para o almoço? Apetece-me frango assado no forno!". Como era só para mim e para o Bruno decidi arriscar, porque no caso da coisa correr mal, damo-nos muito bem com pizas congeladas. 

E pronto, arrisquei. Liguei à mãe a pedir a receita, preparei, meti no forno, comemos, repetimos, e não sobrou nem um bocadinho para a foto.

Acho que chegou o momento que a minha mãe tanto esperou: "Olá, eu sou a Margarida, tenho 23 anos e acho que sou uma dona de casa".

 

P.S: Post sem qualquer interesse ou relevância para os leitores, servindo apenas para partilhar a minha felicidade por ter feito um prato de dificuldade média. 

17
Ago13

Sabemos que... #1

Sabemos que compensa comprar produtos mais caros (admito!) quando percebemos que as calças de fato-de-treino que estão em melhor estado no guarda-fatos são umas da Adidas compradas para participar nas aulas de educação física. Note-se que eu fiz a disciplina toda no secundário por testes escritos, por isso só podem ser anteriores ao ano de 2004. 
Adidas, devias rever o teu conceito de qualidade. Por este andar vou comprar menos calças de fato-de-treino na vida do que os dedos que tenho numa mão.

15
Ago13

Quem espera sempre alcança

Mudar de país nunca é fácil, e creio que toda a gente imagina isso, apesar de nunca se ter noção das verdadeiras dificuldades até se passar por elas. Tive a enorme facilidade de já ter cá os meus pais a viver à 3 anos, mas mesmo assim enúmeros desafios se colocaram na nossa frente como a dificuldade em arranjar emprego, dificuldade em arranjar casa, algumas (e grandes) despesas inesperadas para além da língua, saudades e outras coisas mais. Mas a verdade é que quem espera sempre alcança. Há dias em que só apetece desistir, desaparecer daqui, voltar à vida que tinhamos à uns meses atrás mas cada passo que damos, cada problema ultrapassado é uma vitória e diz-nos para não desistir, se chegamos até aqui está na hora das coisas melhorarem. 

Isto tudo para dizer que 116 dias após chegarmos ao Luxemburgo (apróximadamente 5 meses), hoje é a primeira noite na "nossa" casa. Só nós. E os bichos. E nada vai voltar a ser como antes, porque acredito que tudo vai ser muito melhor a partir de agora. 

Apesar de estar felicissíma, nada nesta vida é fácil. Um grande objectivo foi atingido e logo outro se coloca à nossa frente: manter-me longe do IKEA e semelhantes para bem da minha conta bancária.

Pág. 1/2