Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

19
Jan17

2017 não trás resoluções mas dá um empurrão

Este ano fui menos exigente comigo mesmo nas metas para 2017, porque ano após ano pouca fui-me apercebendo que as coisas mudam quando queremos e nos mentalizamos e não porque é fim de ano, ou segunda-feira, ou véspera de Natal.

A maior mudança que fiz nos últimos anos foi reduzir o consumo de produtos de origem animal e se bem me lembro, a coisa deu-se em Maio de 2014, só porque achei que fazia sentido e decidi mudar pouco a pouco - passado todo este tempo, já estive em fases melhores e outras piores. Nas férias é muito difícil (não digo impossível) reduzir o consumo de carne por exemplo, porque todos os dias acabamos por ir jantar com um amigo ou com outro, ou um tio, ou uma prima e acabamos por ir a sítio mais tradicionais onde não há muita escolha. Posto isto, quando voltei das férias, depois de comer de tudo e mais alguma coisa durante duas semanas, uma das minhas metas foi voltar à rotina. Parece fácil, não? 

Sem grandes pressões, e porque a vontade e um dia chegar a uma alimentação maioritariamente vegetariana (sem grandes pressões, nem ansiedade, nem frustrações) comecei por me impôr pelo menos uma refeição diária livre de carne/peixe e até agora so far, so good.

A maior parte dos dias acabo por levar sopa para o trabalho, que acompanho às vezes com pão ou fruta - para marmitante me confesso, sou pouco fã de comida aquecida e nada mais prático que uma sopa. Rápido de fazer e de comer, combina muito bem com o tempo que faz lá fora, e assim fico livre para uma refeição mais "normal" à noite. O marido acompanha este minha ideologia, o que me facilita bastante o trabalho. 

Ao fim de semana sou mais flexível e tento adaptar: se vamos por exemplo almoçar a casa dos meus pais e a minha mãe faz uma bela feijoada, eu fico-me pelo arroz e feijão e não sinto falta nenhuma da carne, muito sinceramente. Serve também para bolonhesa sem carne (separo o molho noutro recipiente antes de juntar a carne), ou um arroz de tomate com peixe, em que me fico pelo arroz de tomate.

Achei que já estava na altura de dar este passo e não tem sido nenhum drama reduzir em 50% o consumo de carne e peixe, aliás tem sido bem mais fácil do que estava à espera. Tenho acompanhamento profissional desde que tomei a decisão de mudar em 2014 e os progressos vão sendo feitos ao longo do tempo, sem pressas. O próximo passo será passar um dia por semana sem produtos de origem animal, seguido de uns dias, uma semana, uma semana por mês, and so on. 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D