Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Blog da Margarida

Blog da Margarida

07
Dez17

Ajudas cabelenianas

Esta semana recebi em menos de 10 minutos os dois telefonemas mais esperados do ano, que me confirmaram o bom encaminhamento de dois projectos muito ambicionados (falarei deles mais à frente, se tudo correr bem e as coisas passarem do telefone para papeis assinados). Esses projectos vão marcar uma viragem na minha vida, e algo me diz que é uma boa altura para completar tudo que quero mudar e deixar 2017 marcado como "o ano da mudança". Já mudei de casa, já mudei de carro, ando há uns meses a tentar mudar o meu peso sem sucesso, e tenho sonhado com cortes de cabelo (estranho, eu sei).

Ora sonho que vou cortar ao cabeleireiro para o cortar, ora sonho que cortei eu sozinha em casa, ou mesmo que alguém próximo agarra numa tesoura e me corta o rabo-de-cavalo. Segundo uma pesquisa rápida no google (não acredito nestas coisas mas uma curiosidade mórbida faz-me sempre ir ver estes "significados"), parece que este tipo de sonho está mesmo ligado a mudanças na vida, mas há coisas que eu ainda não sei se estou preparada para mudar: eu uso o mesmo "penteado" desde os meus 10 ou 12 anos: comprido, liso, com madeixas e escadeado.

Já por duas vezes cortei o cabelo pelos ombros (em 2013 e em 2015) e tal como acontece a toda a gente, no dia acho espectacular e umas semanas depois, arrependo-me. Claro que não tenho outra solução a não ser habituar-me e esperar mais dois anos para que ele volte ao tamanho "normal", já que para mim ass extensões estão completamente fora de questão.

Por outro lado, e porque o meu lado naturista tem cada vez mais peso nas minha decisões, já me apeteceu deixar de pintar e assumir a minha cor natural. O problema é que já fiz essa tentiva - pintei o cabelo da minha cor natural para acabar com as madeixas -, e gostei tanto (NOT!) que no dia seguinte estava no cabeleireiro para voltar ao meu loiro. O meu cabelo é castanho e como estou habituada a ver-me com o cabelo claro há tantos anos, parecia que tudo na minha cara tinha ficado repentinamente escuro e sombrio.

Também aqui, pesa a questão da saúde do cabelo - viver num país congelante, com a água mais calcária de todos os tempos faz com que (mesmo com máscaras e produtos de protecção) as minhas pontas tenham um ar de vassoura. Pensei então, que se deixasse de o banhar em químicos a cada quatro meses, talvez ele ficasse mais forte. 

Marido diz (e a opinião dele é sempre importante) que em equipa que ganha não se mexe, portanto para ir lá cortar as pontas e problema resolvido, mas esta solução não me satisfaz. Usem a vossa solidariedade feminina e ajudem com soluções: eu prometo que vou investigar todas as opções (mesmo aquelas que tiverem nomes técnicos estranhos como ombré ou balayage*). 

 

*Note-se que já andei a estudar o assunto.

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D